• Alexandre Almeida

O verdadeiro Monte Sinai

Atualizado: 27 de Nov de 2020

Monte Sinai na Arábia Saudita


Pico da montanha queimado. Fogo da presença de Deus?


“Por gerações, fomos ensinados que tínhamos que acreditar na história do Êxodo somente pela fé..."

Depois de banir o turismo nas últimas décadas, a Arábia Saudita não só permite que os turistas visitem, mas também abre suas portas para quem deseja conhecer os atrativos bíblicos que o país deve oferecer.

Depois do segundo encontro de alguns líderes religiosos americanos e o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman (Mohammed bin Salman), o turismo foi autorizado a se desenvolver.


Primeiros turistas


De acordo com Rhonda Sand, dona de uma agência de viagens americana chamada Living Passages, a Arábia Saudita está caminhando em uma direção melhor.

Como resultado das mudanças, a "Living Passages" pode começar a fornecer viagens para turistas que desejam visitar os locais bíblicos na Arábia Saudita.

O "primeiro passeio por lugares raros" começou esta semana, e a empresa de turismo levou turistas ao que eles acreditam ser o verdadeiro Monte Sinai, onde Deus deu os Dez Mandamentos a Moisés.


Símbolo do judaísmo, a Menoráh, foi encontrado gravada no local. Foto: Dr. Sung Hak kim


De acordo com uma reportagem da Fox News, a "Living Passages" organizou o primeiro grupo turístico, trazendo 25 pessoas para as“Cavernas de Jetro na terra de Midian”, que foi organizado por Joel Richardson, autor do livro “Monte Sinai na Arábia: The True Location Revealed”. Richardson disse que essa viagem foi uma das experiências mais emocionantes de sua vida.

“Isso pressagia ser o novo sítio arqueológico mais significativo da história moderna”, disse Richardson à Fox News . “Somos tremendamente abençoados pelo governo saudita nos permitir visitar o reino para ver alguns de seus ricos tesouros históricos e geográficos.”


Ryan Mauro dirige o programa "Ryan Mauro" no YouTube, que é "dedicado a descobrir, proteger e descobrir a história que está em perigo ou perdida", também disse que faria uma turnê em fevereiro de 2020.


Em dezembro de 2018, Mauro filmou o documentário “Em busca da montanha de Moisés: o verdadeiro monte Sinai na Arábia Saudita”, que detalhou vários lugares bíblicos onde passarão os turistas do Living Passages.

Esta excursão irá visitar Jebel Al-Lawz, a antiga terra de Midiã, onde se acredita estar o verdadeiro Monte Sinai.


Em um pequeno documentário, Mauro explica por que acredita que Jebel al-Lawz é na verdade o Monte Sinai da Bíblia. “Por gerações, fomos ensinados que tínhamos que acreditar na história do Êxodo somente pela fé. Fomos ensinados que o Monte Sinai estava localizado na Península do Sinai, no Egito, mas quase não havia nenhuma evidência encontrada lá para tornar crível a história de Moisés e o Êxodo ”, diz a descrição do vídeo.


“Uma nova teoria surgiu nas últimas décadas de que o verdadeiro Monte Sinai fica na Arábia Saudita, junto com outras evidências impressionantes ... Agora, imagens sem precedentes foram adquiridas na Arábia Saudita, trazendo a história do Êxodo à vida como nunca antes e potencialmente abaladora até o Oriente Médio.”


Desenhos deixados nas pedras, mostram o local do altar do"bezerro de ouro".


Além de visitar o que Mauro chamou de "verdadeiro Monte Sinai", a equipe visitará também um antigo poço, que se acredita ter sido o lugar onde Moisés conheceu sua esposa Zípora. Eles também visitarão os locais de Dedan, Wadi Tayyib e Tayma, que se acredita terem sido frequentados pelo rei Nabucodonosor da Babilônia.


A descoberta da montanha como sendo o monte Sinai verdadeiro, foi feita primeiramente pelo pesquisador Ron Wyatt. Ron estava na CBS News, em 1984, contando sobre sua viagem para ver a montanha e o que ele encontrou lá. Ele tinha entrado no país sem visto e suspeitaram ser ele um espião. Ele e seus filhos passaram 76 dias na prisão e poderiam ter sido executados. Depois que Ron ajudou a curar muitos prisioneiros doentes, as autoridades ouviram sua história e o acompanharam até a coluna na praia da Arábia Saudita e depois ao Monte Sinai. Naquele momento, eles começaram a acreditar nele, mas tiveram que confiscar suas fotos antes de deixá-lo ir.


Placa de advertência posta pelo governo da Arábia Saudita


Depois que o Sr. Wyatt encontrou a montanha em 1984, ele a visitou novamente um ano depois. O governo saudita ergueu cercas e guaritas no sopé da montanha no lado leste para impedir a entrada na área da montanha. A placa acima indica: "Zona arqueológica. Entrada ilegal; violação sujeitas a penalidades".


Gostou da matéria? Saiba mais clicando aqui.


17/10/2019. Editado em 27/11/2020




60 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações

  • Facebook

© 2020 por OlharNews